PRIORIDADES

(Ag 1.1-11)

A mensagem de Ageu é muito simples: Será que o povo de Deus está dando a prioridade que o Senhor requer de cada um na sua obra? Vamos meditar nesta mensagem do profeta, aplicando-a a nós mesmos.

O que estava acontecendo e por que? Fazia mais de 20 anos que o povo fora libertado do cativeiro em Babilônia pelo rei Ciro, com o propósito divino de reconstruir o templo, que fora destruído por Nabucodonosor. (Ed 1.1-3). Não obstante, todos estavam mais preocupados com seu bem-estar, do que em atentar para a determinação divina. O templo continuava destruído, mas as casas estavam cada vez mais bonitas. Foi aí que a mão de Deus começou a pesar sobre os negligentes. As bênçãos foram retiradas, porque eram usadas de maneira egoísta. E começam a acontecer coisas estranhas: por mais que trabalhassem, não prosperavam; por mais que plantassem, a seca reduzia as colheitas; por mais que ganhassem, o salário vinha num saco furado; por mais que se vestissem, não conseguiam proteger-se do frio ou calor (Ag 1.1-4). A natureza conspirava contra eles. Tudo por causa da inversão de prioridades na obra do Senhor.

Então Deus levanta Ageu, para repreender o povo e alertá-lo para o que devia fazer: Subi ao monte, trazei madeira, edificai a casa, e dela me agradarei e serei glorificado. Olhastes para muito e alcançastes pouco. E esse pouco eu lhe assoprei, porque a minha casa está deserta e cada um de vós corre à sua própria casa (Ag 1.8,9). A mensagem foi compreendida e levantaram-se Zorobabel e Josué que lideraram a reconstrução.

Que prioridade estamos dando à obra do Senhor?  Devemos compreender, pela leitura da Bíblia, que enquanto peregrinarmos na Terra, a obra do Senhor se faz com as nossas mãos. Cada um de nós tem tarefas pessoais a executar. Prioridades são importantes, a fim de não sermos encontrados negligentes, desperdiçando as bênçãos que imerecidamente recebemos de Deus.

   PAULO FERREIRA é Pastor na Assembleia de Deus-Recreio dos Bandeirantes (RJ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *